Síndrome de Down


A Síndrome de Down é um distúrbio genético causado pela presença total ou parcial  de um cromossomo 21 extra. É um evento genético natural e universal, presente em todas as etnias e classes sociais.

Recebe o nome em homenagem a John Langdon Down, médico britânico que descreveu a síndrome em 1862. Sua causa genética foi isolada em 1958 pelo professor Jerome Lejune, que descobriu uma cópia extra do cromossoma 21.

Caracterizada por uma combinação de diferenças na estrutura corporal e geralmente identificada no nascimento, a síndrome de Down está associada a algumas dificuldades de habilidade cognitiva , desenvolvimento físico e da aparência facial.

Crianças com síndrome de Down podem ter uma habilidade cognitiva abaixo da média, geralmente variando de atraso mental leve a moderado. Um pequeno número de afetados possui retardo mental profundo. É a ocorrência genética mais comum, estimada em 1 a cada 800 nascimentos, o que torna esta deficiência uma das mais comuns de nível genético.

A idade da mãe tem grande influência no risco de concepção de bebês com a síndrome:

Faixa etária das mães

Incidência de bebês com a Síndrome

de 20 a 24 anos

1 em cada 1.900 crianças

de 25 a 29 anos

1 em cada 1.200 crianças

de 30 a 34 anos

1 em cada 880 crianças

de 35 a 39 anos

1 em 360 crianças

de 40 a 44 anos

1 em cada 110 crianças

de 45 a  48 anos

1 em cada 32 crianças

de 49 a 52 anos

1 em cada 10 crianças

 

As principais características comuns à síndrome de Down incluem atraso mental, hipotonia (fraqueza) muscular, baixa estatura,  perfil achatado, orelhas pequenas com implantação baixa, olhos com fendas palpebrais oblíquas, língua grande, protrusa e sulcada, encurvamento dos dedos mindinhos, aumento da distância entre o primeiro e o segundo artelho e prega única nas palmas.

Os afetados pela síndrome de Down possuem maior propensão de sofrer  cardiopatia, doença do refluxo gastresofágico, otites recorrentes, apnéia de sono obstrutiva e disfunções da glândula tireóide.


O Balanceamento Cerebral® e a Síndrome de Down 

O Balanceamento Cerebral® é um método  reeducativo que condiciona o cérebro a executar melhor suas funções, sejam elas físicas ou mentais, ampliando sua capacidade de  controle e coordenação em todas as atividades. É realizado através da análise por EEG espectral  e da estimulação sensorial controlada (estimulação visual, auditiva e vestibular).

O método permite determinar os ritmos cerebrais em funcionamento inadequado e tem sido empregado com  eficácia na abordagem da síndrome de Down, ajudando a amenizar suas consequências, com forte impacto no desenvolvimento cognitivo, psicomotor e emocional de seus portadores, bem como na melhora da qualidade de vida de pacientes e familiares.

 

Gustavo_BC_1 telaeeg6

                                                                                                                           Paciente em sessão de Balanceamento Cerebral         Monitorização de ritmos cerebrais


Veja depoimentos de pais e familiares de portadores da síndrome de Down que se beneficiaram com o Balanceamento Cerebral.

Lílian Cristina - Brasília - DF             Avany Barbosa - Brasília - DF             Outros Depoimentos

 

FONTES DE CONSULTA: